Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BIOCRÓNICAS

CRIAR BIOGRAFIAS OU CRÓNICAS ROMANCEADAS DE PESSOAS OU EMPRESAS

BIOCRÓNICAS

CRIAR BIOGRAFIAS OU CRÓNICAS ROMANCEADAS DE PESSOAS OU EMPRESAS

27
Abr22

NÓS TERRÁQUEOS...

romanesco
NÓS TERRÁQUEOS
***
nós
o povo dos povos do mundo inteiro
repudiamos a divisão do mundo
em lotes aguerridos de nacionalismo
*
nós
a humanidade dum tempo derradeiro
repudiamos o dinheiro imundo
a usura a corrupção e o religiosismo
***
nós
que amamos paz amor humanidade
repudiamos toda violência
a cultura do medo e do racismo
*
nós
amamos uma sociedade justa em liberdade
que partilha a sua consciência
solidária com os valores do humanismo
***
nós
que nascemos do ventre de uma Mulher
queremos que ela seja parte
da organização universal da vida colectiva
*
nós
exigimos o respeito pela dignidade do Ser
que cria a vida humana com sua arte
e nela se funde pelo instinto e perspectiva
***
nós
que amamos a natureza e seus viventes
queremos o desarmamento
geral e global com o fim do fabrico bélico
*
nós
que ansiamos ser felizes sãos e sorridentes
confiando uns nos outros cada momento
sem que alguém possa usar seu poder tétrico
***
nós
que abominamos a inveja a usura e a ganância
exigimos o fim dos sistemas financeiros
e das economias corruptas dos mercados usurários
*
nós
que da humanidade queremos ser a militância
queremos ser na vida companheiros
e partilhar o mundo sem divisões nem horários
***
nós
que vimos saltar da cama uma mulher nova
disposta a partilhar sabedoria
numa organização justa sem atalhos contaminados
*
saudamos a fonte da vida que se renova
que sendo a criadora todavia
tem sido menosprezada pelos iluminados
***
nós
queremos que cesse a exploração irracional
queremos que cessem todas as guerras
queremos que cesse a destruição do planeta
*
nós
exortamos a Humanidade à disseminação da Paz universal
a Amar a vida porque não há mais Terras
a parar a competição pela mais valia da ganância obsoleta
***
nós
consideramos que o fim do sistema financeiro
ditará o fim do tráfico de drogas
e ditará o fim do fabrico de armas e da corrupção
*
nós
ansiamos por um mundo de pessoas livres de dinheiro
de pessoas felizes com vidas longas
de pessoas que partilham a vida com o coração
***
jrg
 
 
 
 
imagens públicas tiradas da net
 
14
Nov21

TRAGÉDIA HUMANITÁRIA

romanesco
 

tragédia humanitaria 0.jpg

fotos públicas tiradas da net

tragédia humanitaria 1.jpg

tragédia humanitaria 2.jpg

 

TRAGÉDIA HUMANITÁRIA
*
a ganância projectou a derrocada
disseminou o caos
desequilibrou o periclitante equilíbrio
e deixa encurralada
gente como nós e crianças somos maus
se permitimos o livre arbítrio
*
ouço os gritos aflitos tão dilacerantes
de dor de frio e de fome
de pessoas jogadas como armas ofensivas
por mentes indignantes
importadas por criminosos com nome
ante olhadelas permissivas
*
o homem o maior predador do planeta
prepara mais uma façanha
o genocídio da mulfidão desesperada
ante a passividade de quem lamenta
sem poder para travar a artimanha
dos obscuros domínios da desumanidade assanhada
*
apelo à consciència pura da Humanidade
porque estamos perante o abismo
desenraizados de Paz de Amor
na ilusão de escravos plenos de liberdade
feridos de indiferença e egoísmo
que cesse em todo o mundo este terror
*
o clima transborda provocante o ódio avança
ou sustemos a agressividade
todos juntos cada povo a activar a consciência
por Amor que seja duma criança
ou resvalamos no vácuo da infelicidade
embrulhados na nossa demência
*
que o meu grito perfure a insensibilidade
dos insidiosos poderes ocultos
que numa dinâmica absurda dominam o mundo
porque sou Humano salvemos a Humanidade
e toda a fauna e flora quero ouvir os vossos gritos
num só grito mais profundo
jrg
fotos públicas tiradas da net
02
Jan21

RESPIRAR POESIA - A CATARSE IV * EXORTAÇÃO DA PAZ DO AMOR E DA HUMANIDAE!!!

romanesco

Mar Grosso 30.jpg

foto jrg

RESPIRAR POESIA
A CATARSE IV
*
EXORTAÇÃO DA PAZ
DO AMOR E DA HUMANIDAE
*
exorto as consciências Humanas
a cultivarem a Paz
a insurgirem-se contra o Êxodo
de migrantes pela fome
e de refugiados pela pandemia da guerra
*
exorto as consciências Humanas
a partilharem Amor
por onde houver ódio raiva ganância
façamos do Amor a ponte
que dê a todos a dignidade de existir
*
exorto as consciências Humanas
a Serem conscientes
da dimensão da sua própria Humanidade
a manterem intacta a natureza
não consumindo dela mais que o necessário
*
de mãos dadas pela vida fora
irmãos Amigos Amantes
construiremos antes que o caos nos destrua
um mundo justo e mais equilibrado
onde seja possível respirar cantando a poesia
jrg
foto jrg

 

05
Mai20

ANSEIO UM NOVO ILUMINISMO OU O RENASCER DA ESPÉCIE HUMANA

romanesco

 

solidão- Carvãode Nuno Gonçalves.jpg

Desenhos de Nuno Gonçalves

ANSEIO UM NOVO ILUMINISMO
OU O RENASCER DA ESPÉCIE HUMANA
*
como o homem primitivo
faço caçadas furtivas
caço numa grande superfície
passo rápido olho vivo
que o vírus não vai em cantigas
e o medo é próprio da espécie
*
a máscara protege-me o rosto
a lista de compras atenua a demora
percorro os corredores a correr
os olhos à procura do que preciso e gosto
as mãos ágeis como quem chora
sabendo que o tempo não é para perder
*
o carro cheio carrego os sacos
limpo-os com desinfectante
arrumo-os na viatura de transporte
perdi a lista esqueci os trocos
limpo os sapatos o casaco a mente
e rumo à toca mais a norte
*
a máscara aperta quase me sufoca
o corpo sua pelo medo agitado
regresso ao silêncio do confinamento
limpar os produtos que o vírus provoca
sinto a falta do mar alterado
com a pandemia colada ao pensamento
*
às vezes vagueio na raia da loucura
rompo o silêncio grito
mas ninguém me responde nem o vento
as notícias aumentam a amargura
os pássaros no quintal o cão o tempo infinito
sufoco na inquietude do pensamento
*
o mundo afunda-se num turbilhão
falham as comunicações
gente indiferente corrompe a ordem estabelecida
resisto a romper a barreira do paredão
onde o mar me espera para descarregar emoções
a organização da vida desmorona-se vencida
*
depois da tempestade vem a bonança
dizem todos os povos na sua ancestral sabedoria
não quero ditaduras nem ditadores
que o mundo e a vida renasçam como uma criança
o homem e a mulher na mesma sintonia
sem ganância sem guerras nem usurpadores
*
uma só língua uma só nação na terra
chamem-lhe Pátria ou Mátria eu chamo-lhe Humanidade
onde não há lugar a injustiça ou abandono
com normas incutidas que valorizem a paz em vez da guerra
que valorizem Amor e a mais ampla liberdade
a humanidade somos todos e livres sem grades nem dono
*
anseio pelo renascimento dum novo iluminismo
sem o servilismo a deuses e tecnologias
quero saber quem sou o que sou e o sentido que faço
quero ser um elo do todo sem absolutismo
de seitas secretas de facções ou obscuras confrarias
quero viver a vida a cada passo
*

jrg

25
Abr20

SER OU NÃO SER LIVRE

romanesco

liberdade.jpg

foto pública tirada da net

*

SER OU NÃO SER LIVRE

*

Somos Liberdade?

um ser nasce

agarrado ao cordão umbilical

cresce aos tropeções

quando cai e se magoa

chama pela mãe

e é um elo mais na cadeia

a que se agarra

pela vida fora elo que o sustenta

copia as lições brilha na escola

vende a imagem no emprego

vai à bola bate na mulher

arranja amantes que o amarram ao prazer

às vezes pensa

mas o algoritmo de ter é mais forte

e cede à liberdade

até ao fim da existência

quando morre

quer fugir mas já não pode alcançar

a liberdade

*

ser livre é bastar-se bastando

sem ter nem haver

é ser simplesmente existindo

sem medos nem segredos

cultivando a Paz o Amor a humanidade

na plena aceitação da natureza

jrg

 

 

25
Mar20

PAZ...AMOR...HUMANIDADE depois de extinto o COVI-19

romanesco

laço branco.jpg

 

PAZ...AMOR...HUMANIDADE
depois de extinto o COVI-19
*
em miúdo tive anginas
sarampo gripe tosse convulsa
asma medo e papeira
em adulto tive paludismo minas
tiros e dias de repulsa
agora a quarentena é uma pasmaceira
*
quando jovem estive à morte
meti-me sem o saber num agueiro
vida fora muitas vezes fui ao fundo
mas nunca perdi o norte
antes me levantei a pulso do lameiro
não será agora o fim do mundo
*
que cesse de trump a bolsonaro
a inquietante expansão da pandemia
que conduz a humanidade para o abismo
não sendo único ainda que seja caso raro
que se levante humano em sintonia
e finde deste vírus expansionismo
*
eu amo deste tempo a primavera
com gente feliz de sorriso franco e aberto
gente solidária amante e humanista
que partilhe amor sem ver nele uma quimera
gente que não arme em Chico esperto
nem seja do egoísmo e da ganância tão chupista
*
exorto os movimentos cívicos solidários
exorto o pensamento feminino
a vontade dos povos para vencer o cataclismo
criando sistemas menos perdulários
que primem na paz e no amor por figurino
dando à luz um novo iluminismo
*
jrg
foto pública partilhada por Anabela Goncalves

04
Out19

ELEIÇÕES PORTUGAL 2019 - EU VOTO PAZ!...AMOR!...HUMANIDADE

romanesco

 

logo_legislativas.png

foto pública tirada da net

*

ELEIÇÕES PORTUGAL 2019
EU VOTO PAZ!...AMOR!...HUMANIDADE
*
não subo nem desço o rio
não gosto de galinha de cristas
vejo o país por um fio
se entregue a tão maus artistas
*
não desço nem subo o rio
abomino cristas que imitam galo
não quero um tal desvario
nem quero ser deles um regalo
*
águas turvas leva o rio
alvorotada vai a capoeira de cristas
vale tudo e eu sorrio
ao ver a arruaça das conquistas
*
tanto ódio insidioso
tanta ganância pelo sangue da manada
paga o justo ao mafioso
que move rio cristas na enxurrada
*
não quero um rio corruptor
nem com cristas corrompidas
quero paz humanidade e amor
mulheres integras são bem-vindas
*
tenho um rio ao pé da porta
e galinhas de cristas bem espaventosas
quando me rondam a vida não suporta
tais aves de rapina indecorosas
*
será que este povo de onde venho
não tem memória do terror
que foram os anos do saque ao pão e ao sonho
com a corrupção a seu favor?
*
eu voto em Humanismo e confiança
na fraternidade solidária do amor
procuro a paz dos tempos desde criança
livrem-me desta campanha de terror
jrg

25
Nov18

SE EU SOUBESSE O QUE NÃO SEI

romanesco

Pensador Leopoldo de almeida.jpg

escultura de Leopoldo de Almeida

*
sei tão pouco
do tanto que há p'ra saber
quase nada sei
se mais soubesse era louco
por tão bem conhecer
as tramas que tecem a lei
*
o tanto que eu sei é nada
em tanta sabedoria
de sábios tão de tanto afiançados
p'ra minha alma pasmada
que saber tudo eu bem queria
mais os saberes bem guardados
*
o que eu sei já me cansa
por ser tão pouco saber
se eu soubesse o que não sei
abraçaria a criança
que tanto teima em crescer
dentro de mim a fechei
*
mas sinto que algo vai acontecer
é a cíclica mudança
desta feita por falta de pensamento
angustia-me olhar e ver
o desassossego que envolve a esperança
a escalada do ódio do momento
*
mais além vejo um vulto
uma mulher de negro de jeito imponente
sobre o peito um coração
de onde sai uma luz fascinante exulto
luz que entra na mente
que produz um efeito em contra-mão
*
sopraram ventos ciclónicos
a chuva torrencial lavou a terra inteira
sismos terramotos
engoliram armamentos atómicos
o silêncio quebrou a pasmaceira
e logo mais humana gente foi a votos
*
o tempo amanheceu
e toda a gente sabia o que fazer
saudavam-se sorridentes
espalhando luz onde havia breu
com o ódio a morrer
e a ganância excluída dos viventes
*
fecharam bancos prestamistas
bolsas e mercados
a usura a mais valia foram banidas
a alegria inundou os pessimistas
a economia social vingou sem dados viciados
as crises foram vencidas
*
alteraram-se os valores de riqueza
tão mais rico é quem mais ama
cada um sente prazer em fazer parte do Ser
não há mais fome nem pobreza
toda a gente tem direito à saúde mesa e cama
ninguém mais terá medo de viver
*
porque somos todos uma só humanidade
haverá um só território
uma só língua falada e escrita
uma só verdade
sobre a mentira sem o contraditório
a lei antiga é prescrita
*
se eu soubesse o que não sei
e visse para além da realidade oculta
uma premonição
o alvorecer duma nova grei
onde o ser avulta
e o amor abunda em todo o coração
jrg

 

31
Jul18

HÁ UM JEITO DE SER MULHER UM OLHAR SÓ...

romanesco

37275258_10204971881892881_6439024874357784576_n.j

 Desenho Olho, carvão sobre papel, 2018

de Nuno Gonçalves

*

*
gosto de te ver
numa correria tão apressada
a brisa que provocas
lembro o fru fru das saias a varrer
o fascínio da perna desnudada
o arrepio da pele quando me tocas 
*
há um jeito para se Ser
um encanto sedutor um sem jeito
um piscar de olhos uma emoção
que enleva e sublima o jeito de Ser Mulher
para lá de qualquer conceito
que nos prende a alma ao coração
*
gostar da correria
das palavras proferidas em doce convulsão
como as ondas do mar brincalhonas
inspiração ou motejo para rimar à alegria
levar-me a correr em contra-mão
à procura da musa por quem te apaixonas
*
um olhar perfeito
a Íris bem centrada num ponto atenta
a disseminar o jeito e o encanto
há uma mulher que nos prende junto ao peito
como a onda do mar quando rebenta
e se desfaz em espuma ou doce pranto
*
fixo o teu olhar misterioso
paralisado pelo seu brilho fascinante
a gravar em mim a tua imagem
olhar de Mulher vê mais além é curioso
e torna-se quando quer luxuriante
este olho que inebria é um convite à alunagem

jrg

17
Jun18

PONTES QUE LIGAM IDEIAS

romanesco

Pontes.jpg

 Desenho de Nuno Gonçalves, em

Riscos, Rabiscos e outros "Iscos"

...

PONTES QUE LIGAM IDEIAS
*
pontes que ligam margens
lugares e pessoas
que ligam ideias sem vencedor
pontes que trazem vantagens
se tiverem bases sólidas e boas
construídas com amor
*
a ideia não é de ninguém
nasce da memória colectiva
da ligação de pontes
da vontade de partilhar o bem
para uma humanidade activa
que construa novos horizontes
*
precisamos de pontes ligadas
à ideia em gestação
que permitam a aprendizagem
a troca de ideias já fundadas
sem soberba e sem ostentação
livres da ganância e da voragem
jrg

Desenho de Nuno Gonçalves, em

Riscos, Rabiscos e outros "Iscos"

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

excelência

<a href="http://astrid-annabelle.blogspot.com" target="_blank">

amigos

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub