Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BIOCRÓNICAS

CRIAR BIOGRAFIAS OU CRÓNICAS ROMANCEADAS DE PESSOAS OU EMPRESAS

BIOCRÓNICAS

CRIAR BIOGRAFIAS OU CRÓNICAS ROMANCEADAS DE PESSOAS OU EMPRESAS

02
Jan21

RESPIRAR POESIA - A CATARSE IV * EXORTAÇÃO DA PAZ DO AMOR E DA HUMANIDAE!!!

romanesco

Mar Grosso 30.jpg

foto jrg

RESPIRAR POESIA
A CATARSE IV
*
EXORTAÇÃO DA PAZ
DO AMOR E DA HUMANIDAE
*
exorto as consciências Humanas
a cultivarem a Paz
a insurgirem-se contra o Êxodo
de migrantes pela fome
e de refugiados pela pandemia da guerra
*
exorto as consciências Humanas
a partilharem Amor
por onde houver ódio raiva ganância
façamos do Amor a ponte
que dê a todos a dignidade de existir
*
exorto as consciências Humanas
a Serem conscientes
da dimensão da sua própria Humanidade
a manterem intacta a natureza
não consumindo dela mais que o necessário
*
de mãos dadas pela vida fora
irmãos Amigos Amantes
construiremos antes que o caos nos destrua
um mundo justo e mais equilibrado
onde seja possível respirar cantando a poesia
jrg
foto jrg

 

05
Mai20

ANSEIO UM NOVO ILUMINISMO OU O RENASCER DA ESPÉCIE HUMANA

romanesco

 

solidão- Carvãode Nuno Gonçalves.jpg

Desenhos de Nuno Gonçalves

ANSEIO UM NOVO ILUMINISMO
OU O RENASCER DA ESPÉCIE HUMANA
*
como o homem primitivo
faço caçadas furtivas
caço numa grande superfície
passo rápido olho vivo
que o vírus não vai em cantigas
e o medo é próprio da espécie
*
a máscara protege-me o rosto
a lista de compras atenua a demora
percorro os corredores a correr
os olhos à procura do que preciso e gosto
as mãos ágeis como quem chora
sabendo que o tempo não é para perder
*
o carro cheio carrego os sacos
limpo-os com desinfectante
arrumo-os na viatura de transporte
perdi a lista esqueci os trocos
limpo os sapatos o casaco a mente
e rumo à toca mais a norte
*
a máscara aperta quase me sufoca
o corpo sua pelo medo agitado
regresso ao silêncio do confinamento
limpar os produtos que o vírus provoca
sinto a falta do mar alterado
com a pandemia colada ao pensamento
*
às vezes vagueio na raia da loucura
rompo o silêncio grito
mas ninguém me responde nem o vento
as notícias aumentam a amargura
os pássaros no quintal o cão o tempo infinito
sufoco na inquietude do pensamento
*
o mundo afunda-se num turbilhão
falham as comunicações
gente indiferente corrompe a ordem estabelecida
resisto a romper a barreira do paredão
onde o mar me espera para descarregar emoções
a organização da vida desmorona-se vencida
*
depois da tempestade vem a bonança
dizem todos os povos na sua ancestral sabedoria
não quero ditaduras nem ditadores
que o mundo e a vida renasçam como uma criança
o homem e a mulher na mesma sintonia
sem ganância sem guerras nem usurpadores
*
uma só língua uma só nação na terra
chamem-lhe Pátria ou Mátria eu chamo-lhe Humanidade
onde não há lugar a injustiça ou abandono
com normas incutidas que valorizem a paz em vez da guerra
que valorizem Amor e a mais ampla liberdade
a humanidade somos todos e livres sem grades nem dono
*
anseio pelo renascimento dum novo iluminismo
sem o servilismo a deuses e tecnologias
quero saber quem sou o que sou e o sentido que faço
quero ser um elo do todo sem absolutismo
de seitas secretas de facções ou obscuras confrarias
quero viver a vida a cada passo
*

jrg

25
Abr20

SER OU NÃO SER LIVRE

romanesco

liberdade.jpg

foto pública tirada da net

*

SER OU NÃO SER LIVRE

*

Somos Liberdade?

um ser nasce

agarrado ao cordão umbilical

cresce aos tropeções

quando cai e se magoa

chama pela mãe

e é um elo mais na cadeia

a que se agarra

pela vida fora elo que o sustenta

copia as lições brilha na escola

vende a imagem no emprego

vai à bola bate na mulher

arranja amantes que o amarram ao prazer

às vezes pensa

mas o algoritmo de ter é mais forte

e cede à liberdade

até ao fim da existência

quando morre

quer fugir mas já não pode alcançar

a liberdade

*

ser livre é bastar-se bastando

sem ter nem haver

é ser simplesmente existindo

sem medos nem segredos

cultivando a Paz o Amor a humanidade

na plena aceitação da natureza

jrg

 

 

25
Mar20

PAZ...AMOR...HUMANIDADE depois de extinto o COVI-19

romanesco

laço branco.jpg

 

PAZ...AMOR...HUMANIDADE
depois de extinto o COVI-19
*
em miúdo tive anginas
sarampo gripe tosse convulsa
asma medo e papeira
em adulto tive paludismo minas
tiros e dias de repulsa
agora a quarentena é uma pasmaceira
*
quando jovem estive à morte
meti-me sem o saber num agueiro
vida fora muitas vezes fui ao fundo
mas nunca perdi o norte
antes me levantei a pulso do lameiro
não será agora o fim do mundo
*
que cesse de trump a bolsonaro
a inquietante expansão da pandemia
que conduz a humanidade para o abismo
não sendo único ainda que seja caso raro
que se levante humano em sintonia
e finde deste vírus expansionismo
*
eu amo deste tempo a primavera
com gente feliz de sorriso franco e aberto
gente solidária amante e humanista
que partilhe amor sem ver nele uma quimera
gente que não arme em Chico esperto
nem seja do egoísmo e da ganância tão chupista
*
exorto os movimentos cívicos solidários
exorto o pensamento feminino
a vontade dos povos para vencer o cataclismo
criando sistemas menos perdulários
que primem na paz e no amor por figurino
dando à luz um novo iluminismo
*
jrg
foto pública partilhada por Anabela Goncalves

04
Out19

ELEIÇÕES PORTUGAL 2019 - EU VOTO PAZ!...AMOR!...HUMANIDADE

romanesco

 

logo_legislativas.png

foto pública tirada da net

*

ELEIÇÕES PORTUGAL 2019
EU VOTO PAZ!...AMOR!...HUMANIDADE
*
não subo nem desço o rio
não gosto de galinha de cristas
vejo o país por um fio
se entregue a tão maus artistas
*
não desço nem subo o rio
abomino cristas que imitam galo
não quero um tal desvario
nem quero ser deles um regalo
*
águas turvas leva o rio
alvorotada vai a capoeira de cristas
vale tudo e eu sorrio
ao ver a arruaça das conquistas
*
tanto ódio insidioso
tanta ganância pelo sangue da manada
paga o justo ao mafioso
que move rio cristas na enxurrada
*
não quero um rio corruptor
nem com cristas corrompidas
quero paz humanidade e amor
mulheres integras são bem-vindas
*
tenho um rio ao pé da porta
e galinhas de cristas bem espaventosas
quando me rondam a vida não suporta
tais aves de rapina indecorosas
*
será que este povo de onde venho
não tem memória do terror
que foram os anos do saque ao pão e ao sonho
com a corrupção a seu favor?
*
eu voto em Humanismo e confiança
na fraternidade solidária do amor
procuro a paz dos tempos desde criança
livrem-me desta campanha de terror
jrg

25
Nov18

SE EU SOUBESSE O QUE NÃO SEI

romanesco

Pensador Leopoldo de almeida.jpg

escultura de Leopoldo de Almeida

*
sei tão pouco
do tanto que há p'ra saber
quase nada sei
se mais soubesse era louco
por tão bem conhecer
as tramas que tecem a lei
*
o tanto que eu sei é nada
em tanta sabedoria
de sábios tão de tanto afiançados
p'ra minha alma pasmada
que saber tudo eu bem queria
mais os saberes bem guardados
*
o que eu sei já me cansa
por ser tão pouco saber
se eu soubesse o que não sei
abraçaria a criança
que tanto teima em crescer
dentro de mim a fechei
*
mas sinto que algo vai acontecer
é a cíclica mudança
desta feita por falta de pensamento
angustia-me olhar e ver
o desassossego que envolve a esperança
a escalada do ódio do momento
*
mais além vejo um vulto
uma mulher de negro de jeito imponente
sobre o peito um coração
de onde sai uma luz fascinante exulto
luz que entra na mente
que produz um efeito em contra-mão
*
sopraram ventos ciclónicos
a chuva torrencial lavou a terra inteira
sismos terramotos
engoliram armamentos atómicos
o silêncio quebrou a pasmaceira
e logo mais humana gente foi a votos
*
o tempo amanheceu
e toda a gente sabia o que fazer
saudavam-se sorridentes
espalhando luz onde havia breu
com o ódio a morrer
e a ganância excluída dos viventes
*
fecharam bancos prestamistas
bolsas e mercados
a usura a mais valia foram banidas
a alegria inundou os pessimistas
a economia social vingou sem dados viciados
as crises foram vencidas
*
alteraram-se os valores de riqueza
tão mais rico é quem mais ama
cada um sente prazer em fazer parte do Ser
não há mais fome nem pobreza
toda a gente tem direito à saúde mesa e cama
ninguém mais terá medo de viver
*
porque somos todos uma só humanidade
haverá um só território
uma só língua falada e escrita
uma só verdade
sobre a mentira sem o contraditório
a lei antiga é prescrita
*
se eu soubesse o que não sei
e visse para além da realidade oculta
uma premonição
o alvorecer duma nova grei
onde o ser avulta
e o amor abunda em todo o coração
jrg

 

31
Jul18

HÁ UM JEITO DE SER MULHER UM OLHAR SÓ...

romanesco

37275258_10204971881892881_6439024874357784576_n.j

 Desenho Olho, carvão sobre papel, 2018

de Nuno Gonçalves

*

*
gosto de te ver
numa correria tão apressada
a brisa que provocas
lembro o fru fru das saias a varrer
o fascínio da perna desnudada
o arrepio da pele quando me tocas 
*
há um jeito para se Ser
um encanto sedutor um sem jeito
um piscar de olhos uma emoção
que enleva e sublima o jeito de Ser Mulher
para lá de qualquer conceito
que nos prende a alma ao coração
*
gostar da correria
das palavras proferidas em doce convulsão
como as ondas do mar brincalhonas
inspiração ou motejo para rimar à alegria
levar-me a correr em contra-mão
à procura da musa por quem te apaixonas
*
um olhar perfeito
a Íris bem centrada num ponto atenta
a disseminar o jeito e o encanto
há uma mulher que nos prende junto ao peito
como a onda do mar quando rebenta
e se desfaz em espuma ou doce pranto
*
fixo o teu olhar misterioso
paralisado pelo seu brilho fascinante
a gravar em mim a tua imagem
olhar de Mulher vê mais além é curioso
e torna-se quando quer luxuriante
este olho que inebria é um convite à alunagem

jrg

17
Jun18

PONTES QUE LIGAM IDEIAS

romanesco

Pontes.jpg

 Desenho de Nuno Gonçalves, em

Riscos, Rabiscos e outros "Iscos"

...

PONTES QUE LIGAM IDEIAS
*
pontes que ligam margens
lugares e pessoas
que ligam ideias sem vencedor
pontes que trazem vantagens
se tiverem bases sólidas e boas
construídas com amor
*
a ideia não é de ninguém
nasce da memória colectiva
da ligação de pontes
da vontade de partilhar o bem
para uma humanidade activa
que construa novos horizontes
*
precisamos de pontes ligadas
à ideia em gestação
que permitam a aprendizagem
a troca de ideias já fundadas
sem soberba e sem ostentação
livres da ganância e da voragem
jrg

Desenho de Nuno Gonçalves, em

Riscos, Rabiscos e outros "Iscos"

31
Dez17

FELIZ ANO 2018 - QUE SEJA ANO NOVO - QUE SEJA ANO BOM - FELIZ ANO NOVO HUMANIDADE!

romanesco

 

Antártida.jpg

Samoa.jpg

Vavau Tonga.jpg

Terra.jpg

 imagens públicas tiradas da net

...

FELIZ ANO 2018
QUE SEJA ANO NOVO
QUE SEJA ANO BOM
FELIZ ANO NOVO HUMANIDADE!
*
é em Kiribati
em Samoa e Tonga
que todos os anos
o ano muda primeiro
ainda que seja
a primazia na Antárctida
deserta de humanidade
que a hora muda
do passado para o futuro
isto no calendário
chamado Gregoriano
todos os anos
cada mudança de ano
há o desejo o voto
a esperança a euforia
a promessa a jura
de que seremos melhores
talvez bebamos demais
porque não passamos de bárbaros
ante a humanidade
humilde simples genuína
ou talvez seja desta
dizemos de corpo erguido
inebriados de emoção
a derradeira passagem do velho
para o novo humanismo
Bom Ano novo e Bom activai
a nossa consciência
envia-nos pétalas de Primavera
jazidas de amor
poços de amizade fraterna
paz sem condições
boas cotações na bolsa da fraternidade
átomos mutantes
porque é duma nova mutação
que a espécie humana precisa
sem ganância nem inveja
sem luxúria sem intriga ciúme
sem corruptos ladrões
porque Humanidade somos todos
e cada um de nós
Feliz ano novo Humanidade!
jrg

01
Jan16

BRINDO A UM ANO DE CONSCIÊNCIA HUMANA!

romanesco

anonovo1-150x150.gif

 

BRINDO A UM ANO DE CONSCIÊNCIA HUMANA!
JOÃO RAIMUNDO GONÇALVES·DOMINGO, 27 DE DEZEMBRO DE 2015238 leituras

A todas as minhas amigas...a todos os meus amigos atiro palavras ao tempo, angustiado pela desumanidade das relações humanas, entre famílias, entre grupos, comunidades e estados...penso MÁTRIA...exorto a consciência feminina para que se faça luz...a luz diáfana do amor...do humanismo...para que 2016 nos faça pensar um novo sistema de organização da vida...que 2016 nos iniba de ter medo...o medo de perder privilégios...o medo de não ter...ter...ter...que 2016 nos permita a veleidade de sermos mais humanos...intransigentes para com a desumanidade...que 2016 nos permita sermos mais racionais...usando a inteligência para nos desenvolvermos enquanto espécie livre de todos os preconceitos que as normas e as religiões, ao longo de milénios, nos impuseram como sacras...
jrg
dedico-vos estas palavras que alinhei em jeito de poema:

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

excelência

<a href="http://astrid-annabelle.blogspot.com" target="_blank">

amigos

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub