Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BIOCRÓNICAS

CRIAR BIOGRAFIAS OU CRÓNICAS ROMANCEADAS DE PESSOAS OU EMPRESAS

BIOCRÓNICAS

CRIAR BIOGRAFIAS OU CRÓNICAS ROMANCEADAS DE PESSOAS OU EMPRESAS

31
Jul18

HÁ UM JEITO DE SER MULHER UM OLHAR SÓ...

romanesco

37275258_10204971881892881_6439024874357784576_n.j

 Desenho Olho, carvão sobre papel, 2018

de Nuno Gonçalves

*

*
gosto de te ver
numa correria tão apressada
a brisa que provocas
lembro o fru fru das saias a varrer
o fascínio da perna desnudada
o arrepio da pele quando me tocas 
*
há um jeito para se Ser
um encanto sedutor um sem jeito
um piscar de olhos uma emoção
que enleva e sublima o jeito de Ser Mulher
para lá de qualquer conceito
que nos prende a alma ao coração
*
gostar da correria
das palavras proferidas em doce convulsão
como as ondas do mar brincalhonas
inspiração ou motejo para rimar à alegria
levar-me a correr em contra-mão
à procura da musa por quem te apaixonas
*
um olhar perfeito
a Íris bem centrada num ponto atenta
a disseminar o jeito e o encanto
há uma mulher que nos prende junto ao peito
como a onda do mar quando rebenta
e se desfaz em espuma ou doce pranto
*
fixo o teu olhar misterioso
paralisado pelo seu brilho fascinante
a gravar em mim a tua imagem
olhar de Mulher vê mais além é curioso
e torna-se quando quer luxuriante
este olho que inebria é um convite à alunagem

jrg

05
Mai18

AMOR CÓSMICO

romanesco

Galáxias.jpg

 foto pública tirada da net

*

AMOR CÓSMICO
*
fundem-se galáxias no firmamento
geram uma chuva de estrelas
fundem-se corpos num casamento
à procura de emoções belas
*
há estrelas novas a cintilar no céu
produto dum amor galáctico
iluminam de silêncio a noite de breu
à procura do sentir catártico
*
belas Valquírias cavalgando cometas
vestem a noite de fantasia
meteoritos de fogo tocam trombetas
agitam nuvens com ventania
*
sonhos projectam no abismo desejos
damos passos gigantescos
arrasamos medos e no silêncio beijos
ardem ardentes dantescos
*
fundem-se absurdas calotas polares
cavam túneis esventram terra
atravessam oceanos montes e mares
por onde passam cessa a guerra
*
regurgitam estranhas formas de vida
fundem-se numa atração natural
átomos potrões numa galáxia perdida
nuvens de gazes transmitem sinal
*
vejo a inteligência humana desavinda
instigada pela ganância a destruir
o que a humanidade tem de mais linda
que é o amor à vida e o sorrir
jrg

31
Dez17

FELIZ ANO 2018 - QUE SEJA ANO NOVO - QUE SEJA ANO BOM - FELIZ ANO NOVO HUMANIDADE!

romanesco

 

Antártida.jpg

Samoa.jpg

Vavau Tonga.jpg

Terra.jpg

 imagens públicas tiradas da net

...

FELIZ ANO 2018
QUE SEJA ANO NOVO
QUE SEJA ANO BOM
FELIZ ANO NOVO HUMANIDADE!
*
é em Kiribati
em Samoa e Tonga
que todos os anos
o ano muda primeiro
ainda que seja
a primazia na Antárctida
deserta de humanidade
que a hora muda
do passado para o futuro
isto no calendário
chamado Gregoriano
todos os anos
cada mudança de ano
há o desejo o voto
a esperança a euforia
a promessa a jura
de que seremos melhores
talvez bebamos demais
porque não passamos de bárbaros
ante a humanidade
humilde simples genuína
ou talvez seja desta
dizemos de corpo erguido
inebriados de emoção
a derradeira passagem do velho
para o novo humanismo
Bom Ano novo e Bom activai
a nossa consciência
envia-nos pétalas de Primavera
jazidas de amor
poços de amizade fraterna
paz sem condições
boas cotações na bolsa da fraternidade
átomos mutantes
porque é duma nova mutação
que a espécie humana precisa
sem ganância nem inveja
sem luxúria sem intriga ciúme
sem corruptos ladrões
porque Humanidade somos todos
e cada um de nós
Feliz ano novo Humanidade!
jrg

26
Jan17

HÁ QUANTO TEMPO O AMOR PAROU!...

romanesco

amor.jpg

imagem pública tirada da net

 

Há quanto tempo o amor parou? O mundo assiste a uma escalada desprezível de hipocrisia e egoísmo...somos cada vez menos importantes para cada um de nós...o que conta é a nossa vida... a nossa interpretação das coisas e o que parece ser...a panache do imediatismo fútil...não interessa o interesse da humanidade...da natureza...os Mares...o Ar...a própria Terra...os outros animais que connosco partilham silêncios e gritos de dor...parecer ser...enquanto hipotéticas sociedades secretas continuam a mandar matar gente inocente, porque já somos demais! jrg

19
Dez16

MEMÓRIAS DO TEMPO DAS FESTAS DE NATAL NA VILA ONDE CRESCI...A COSTA DA CAPARICA

romanesco

A Gisela.jpg

O João Paulo.jpg

 

 

MEMÓRIAS DO TEMPO DAS FESTAS DE NATAL
NA VILA ONDE CRESCI...A COSTA DA CAPARICA
***
Na vila da Costa da Caparica onde eu cresci, todos os anos pelo natal toda a gente estreava uma roupa nova...todos menos os filhos da Aldigundes porque eram duma pobreza extrema...havia arroz doce na mesa, filhós e rabanadas caseiras...e um brinquedo, nem que fosse de de madeira grosseira ou de lata com pintura esborratada...
*
Matava-se o Perú que todo ano se alimentara de minhocas e grãos no juncal...às vezes de restos de hortaliças...porque era o dia de comer carne em terra de peixe farto...
*
Lembro aquele natal em que, como habitualmente, não esperava ter os presentes dos meus sonhos de menino...noite dentro ouvi as vozes da mãe e do pai num sussurro de mistério...a noite era fria mas a curiosidade aquecia-me o corpo e a alma impacientes...
*
Foi no ano em que descobri que não havia pai natal...que afinal era o meu pai quem preenchia o sapatinho à meia noite com a prenda que podia comprar...acordei o meu irmão após o silêncio que indiciava que os pais se foram deitar e fomos junto à
árvore de natal onde tínhamos colocado as botas de cardas... vimos que as botas tinham presentes...e quando nos preparávamos para os desembrulhar, ouvimos a voz do pai a mandar-nos deitar...
*
A noite passou tão lentamente que doía de tanto imaginar o que estaria dentro daqueles embrulhos compridos que não se pareciam com nada...sonhos e pesadelos alimentaram o pensamento adormecido...voltas e mais voltas na cama de folhelho .*
Enfim era manhã...já o sol entrava pela janela e ouviam-se vozes vindas da cozinha...corremos para a árvore...cada qual à sua bota...rasgámos o embrulho...e... a nossos olhos deslumbrados, um revólver que parecia de verdade, grande, de cano
comprido, com o tambor cheio de balas e que rodava...um gatilho que ao disparar fazia um estalido seco...tal qual como os dos filmes americanos que, à socapa, já começáramos a ver...com coldres e tudo...o cinturão...não...não era sonho...
*
Só muito mais tarde é que aprendi o verdadeiro significado do natal e de como havia muitos mais filhos de Aldigundes que não estreavam roupa nem recebiam presentes...
 
Mas pronto...é uma tradição festiva...trocam-se presentes e comem-se iguarias...juntam-se famílias...algumas desavindas aceitam as tréguas e no calor do álcool até trocam abraços e sorrisos...por um dia descobrem a paz e o amor que trazem
escondidos o ano todo...
*
Amanhã é já outro dia e uma semana depois um ano novo...renova-se a esperança...acicata-se o ódio...a indiferença...mas há sempre alguém que se passa
para o lado do amor...um dia seremos humanidade a sério...acérrimos defensores da nossa dignidade humana e da dos doutros...para que ninguém fique do lado de fora da
festa...de todas as festas...um dia em que não haja guerra nem terror sobre os inocentes...
*
Boas festas para todos e activem a consciência...por um novo Humanismo!...
jrg
PS:
Obrigado meus pais Natal por me incentivarem a sonhar!...jrg
01
Jan16

BRINDO A UM ANO DE CONSCIÊNCIA HUMANA!

romanesco

anonovo1-150x150.gif

 

BRINDO A UM ANO DE CONSCIÊNCIA HUMANA!
JOÃO RAIMUNDO GONÇALVES·DOMINGO, 27 DE DEZEMBRO DE 2015238 leituras

A todas as minhas amigas...a todos os meus amigos atiro palavras ao tempo, angustiado pela desumanidade das relações humanas, entre famílias, entre grupos, comunidades e estados...penso MÁTRIA...exorto a consciência feminina para que se faça luz...a luz diáfana do amor...do humanismo...para que 2016 nos faça pensar um novo sistema de organização da vida...que 2016 nos iniba de ter medo...o medo de perder privilégios...o medo de não ter...ter...ter...que 2016 nos permita a veleidade de sermos mais humanos...intransigentes para com a desumanidade...que 2016 nos permita sermos mais racionais...usando a inteligência para nos desenvolvermos enquanto espécie livre de todos os preconceitos que as normas e as religiões, ao longo de milénios, nos impuseram como sacras...
jrg
dedico-vos estas palavras que alinhei em jeito de poema:

 

08
Dez15

ENFERMAGEM OU A PROFISSÃO MAIS BELA DO MUNDO!...

romanesco

trabalhadores-guerreiros-4.jpg

 

 

a imagem pública foi tirada de:.mensagens.culturamix.com

 

ENFERMAGEM OU A PROFISSÃO
MAIS BELA DO MUNDO!...
*
são os pilares da saúde
espetam agulhas
afagam as almas com sorrisos
dão-lhes vida
humanizam com ternura
o que o sistema
na sua loucura arritmica
trata com cifrões
elas são mães amigas ciosas
eles irmãos de raça
enfermeiras e enfermeiros
mãos delicadas
palavras reconfortantes
olhos sensíveis
com palavras de veludo
contra a dor
contra o desalento e a descrença
guerreiras sem medo
guerreiros sem espada nem fusil
ministram a esperança
vencem a morte com sorrisos de luz
jrg/SamuelDabó 

 
26
Jan14

LANÇAMENTO DO LIVRO: O DESASSOSSEGO DA MEMÓRIA

romanesco

 

 

Sinopse da obra
O livro, “O Desassossego da Memória”, procura ir
ao encontro da memória do homem enquanto espécie
natural não massificada pelas religiões e pelo fatalismo
da liderança dos poderes compulsivamente emergentes:
militares, económicos e financeiros, em busca do homem
real, consubstanciado na sua animalidade e na alma
feminina.
É um livro contra os preconceitos e que considera 
a sexualidade como um motor de libertação do 
inconsciente profundo… uma sexualidade atenta aos 
instintos perversos sem desrespeitar a animalidade de 
que somos possuídos… mas contendo-a nos limites da 
consciência em que cada um se movimenta… 
É a mulher que comanda as emoções.
Porque a memória é o factor principal do desassossego
de viver aqui se procura evidenciar o papel da
mulher em todo o desenvolvimento humano e o obscu-
rantismo a que foi votado o seu pensamento ao longo de
milénios.
A história do romance vive-se num ambiente de
demência política e cultural com a transformação do
mundo em decadência e à procura dos alicerces para um
novo Humanismo.
O autor convida-vos ao salutar exercício de pensar,
simplificando o raciocínio em toda a sua amplitude…
SAMUELDABÓ/jrg

22
Dez13

N A T A L...

romanesco
*
NATAL
*
é natal
o meu coração fica gelado
quando ouço uma criança
_mãe quero pão
e a mãe esconde a lágrima
encolhida no silêncio
*
é natal
já foi a ceia dos sem abrigo
um dia em cada ano frugal
depois volta 
o céu aberto o frio a disputa
por um lugar sem ruído
*
é natal
já não caem pássaros em dezembro
porque já não há pássaros
e o frio teima em bater à porta
dos desempregados
por uma nesga de ruína
*
é natal
cai a neve na montanha
gente feliz aquecida
poderosos sem porquê da abundância
riem tecem planos de ganância
rasgam silêncios entre os despojos
*
é natal
em honra de um deus menino
que devia justiçar
chovem presentes escasseia pão
arde o fogo na lareira
tiritam de frio os sem teto
jrg

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

excelência

<a href="http://astrid-annabelle.blogspot.com" target="_blank">

amigos

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D