Quinta-feira, 31 de Março De 2011

VIOLÊNCIA!!! nãoooooooooooo!!!

 

 

 

foto tirada da net

 

 


 

 


vejo o teu rosto triste cansado
a pele ainda em si tão nova já envelhecida
o olhar fixo no chão rastejado
o sorriso  agonizante na tua boca escondida

vejo o teu corpo mártir de mulher
desde criança da vil fraqueza violentado
por homens frustrados sem saber
o crime horrendo que em ti foi praticado

vejo a tua alma refém da violência
porque és mãe e foi no teu ventre que geraste
os filhos que te rasgam a consciência
não permitem que te libertes de tal traste

vejo no fundo da alma a força inteira
à espera dum rasgo de coragem num lampejo
que te permita tomar à vida a dianteira
saindo desse atoleiro de viver onde te abreijo

nenhum homem tem qualquer direito
de bater ou submeter a mente de uma mulher
que sendo mãe do mundo por sorte ou por defeito
respira a vida toda vergada sem querer

nenhuma lei humana é bem medida
se não cuida da intenção na prática continuada
ao permitir que a vitima seja vencida
por coacção subtil e violência disfarçada

casar não é comprar por mercadoria
nem há lugar para proteger ou omitir o salafrário
a honra é invenção do homem sem sabedoria
exorto toda a mulher a libertar o seu contrário

autor: jrg

sinto-me: indignado
música: o lago dos cisnes
publicado por romanesco às 01:08
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 28 de Março De 2011

TRILOGIA DO FOGO !...ALZHEIMER !...

 

foto tirada da net

 

 

encho de poesia a triste dor
na esperança de espalhar a alegria
que traduz o sofrimento por amor
deixando de lado a fantasia...

jrg

***


TRILOGIA DO FOGO

***

ALZHEIMER

 

Ah! A vida!

Alerta-te!

Tu não és mais criança!

O que tu dizes não é mais fato.

Agora é sério!

Acorda para vida real!
Esse mundo é neurótico!

Sincrético!

Aneurisma cerebral!

Sem sincronia!

Os opostos andam separados.

Cada vez mais distantes.

Mal se notam!

Acorda!
Pareces tartaruga!

Antes eras lebre!

Esquecestes?

A pressa é inimiga da perfeição.

Mas tu não podes parar!

Não dá pra parar!

Acorda para vida real!
O que tu fazes aqui?

Nossa, tu estás diferente!

Estas muito mais bonito!

Não! Esse não sou eu!

Quem eu sou?

O que sou?

Não olhe pra trás!

Não ande para trás!

Não volte ao teu passado

Que este te atrasa,

Te faz lembrar!

Lembrar?

O que tu tens que esquecer!

Nada dura para sempre!

Essa é a realidade!

Acorda!

Acorda!

Acorda!
Acordei!

Quem é esse velho?

Onde estamos mesmo?

Eu quero voltar para minha casa!

Eu quero voltar para casa!

Está todo mundo me esperando lá!

Tá todo mundo me esperando...
Acorda!

Acorda!

A corda acorda no pescoço da memória.

É assim que se morre!

É assim que a vida anda de costas!

E é assim que tu vais sendo esquecido.

Aos poucos!

Acorda!

 

. . . . . .

Silvia

M endonça

^^^ ~~~~ ***


ALZHEIMER

Chego sorrateiro na companhia do tempo, que precariamente lhe consome.

Infiltro-me no processo de envelhecimento, me fazendo natural em seu esquecimento,

               em sua desorientação do não lembrar, mas, meu objetivo maior é destruir,

progressivamente seus neurônios,

é lhe deixar em completa apatia,

sem motivo, levar à depressão aparente,

se possível roubar-lhe seu juízo e critica,

na confusão de seu raciocínio.

Tornar-se sua incessante ansiedade,

sua inquietação, sua agressividade.

Desorganizar seu sono e seus pensamentos em delírios.

Dificultar sua locomoção, lhe deixar em total dependência.

Roubar-lhe sua funcionalidade, seu cognitivo racional, encolher seu cérebro.

Sou o mal crônico a causar sofrimento,

Posso também ser precoce, esteja atento.

Sou... ALZHEIMER!  

Lufague

*****

 

ALZHEIMER!

 

Visto de dentro o paciente

Quem sabe? aos poucos vai-se desapercebendo

Ouve um alarido que não mais sente

Nem sabe do mal porque vai morrendo

*

A princípio talvez ainda se debate

Os neurónios em cadeia esboçam feroz a reacção

Irrita-se explode toca sinos a rebate

Até ao dia em que a alma chama o corpo em vão

*

Visto de fora é alvo da chacota

Leva algum tempo a mente sã a se aperceber

Que o paciente agora vem revestido a terracota

Vai precisar de quem o saiba entender

 

Torna-se arrepiante para a memória

Olhar em frente o corpo estático ao movimento

Saber que ama aquele ser e sua história

Sentir o medo de viver na aspereza do tormento


Visto de cima não é nada da gente

Quem é a senhora? estrebucha o pensamento

Ninguém está preparado para olhar de frente

O mal alzheimerado impávido lamento

 

Que maldade a dos elementos tão aviltantes

Que se conluiem no silêncio em segredo

Não escolhem como e quando surgem penetrantes

Ainda que deles não tenhamos medo

 

Visto de baixo de onde o mal se expandiu

É como um louco que se diz numa outra dimensão

Ninguém pode garantir que no dizer sandio

Não haja uma mensagem de amor à vida em submissão

jrg

 

 

 

sinto-me: solidário
música: 5ª sinfonia
publicado por romanesco às 01:13
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Março De 2011

PARKINSON...A POESIA E O POETA!...

 

 

 

 

 

para o Rogério Martins Simões...com amor

 

***

 

Nasce tão tanto inocente a criatura
E logo ao nascer nela renasce
Em cada célula por maldade ou por ventura
Um estigma genético sobre a catarse

Se alguém assim gerado ao renascer
Não escolhe ser da poesia na alma um portador
Porque teima o corpo em vão sofrer
Quando no auge da criação um poeta é só amor


Sorrateira vem tão de repente
A tomar conta no corpo do movimento
Procura nos neurónios eminente
A prontidão da alma que eleva o pensamento

Não se sabe quem é de onde vem
Nem se reconhece remédio ou valimento
Apenas que atinge o homem pai ou mãe
E nele solta atroz o sofrimento

Deram-lhe o nome sonante de Parkinson
Que lentamente tolhe a motricidade
Come neurónios e na palavra toma o som
Estremece no corpo inteiro a vontade

Não se compadece com a erosão
Que na vontade de cansaço provoca o desalento
Só a força indómita dentro da razão
Friamente composta de “amor e dor” é provimento

Meus olhos brilham estrelas rutilantes
Ao sentir a energia do poema à volta e dentro do poeta
Resistente da esperança luz de efeitos brilhantes
Que almeja na Parkinson ser profeta

Cansado o poeta acena à indiferença
Com que ela avança segura e célere em prontidão
Recusa pelo verso ser dela a sentença
E lança a poesia além da alma pelo coração

Eleita deste modo profícua a poesia
Assume o homem nela uma nova e alta dimensão
Reduz toda a doença à mera fantasia
Ao ser em cada verso antídoto à sua evolução

Autor: jrg

sinto-me: admirador
música: Vejam Bem...de José Afonso
publicado por romanesco às 00:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 08 de Março De 2011

EIS A MULHER !!!

 

 

 foto tirada da net

 

 

 

 

eis a Mulher!

não importa se é vistosa
se é fiel ou adúltera
não é um ser qualquer
de humana a mais corajosa
criadora se pudera
mãe da vida do que é ser

eis a Mulher !

não importa se é rameira
se fantasia a vivência
não é fêmea de aluguer
é de humana a derradeira
refém da consciência
da humanidade sem querer

eis a Mulher !

não importa se sábia ou fútil
se é apta ou insuficiente
não é pétala de malmequer
deitada fora por inútil
quando alguém já a não sente
ou o seu corpo não quer

eis a Mulher !

saia curta o decote ousado
como se mexe mimosa
no escritório assediada
no campo manobra o arado
na fábrica sorri airosa
na rua encanta a passada

eis a Mulher !

traz no ventre uma criança
carrega um mundo às avessas
se falha o homem ela paga
donde emana tanta esperança
tida por tão frágeis crenças
segredo que a alma afaga

eis a Mulher !

no olhar um sorriso de luz
escritora poetisa ou jornalista
empresária professora
a todo o mundo encanta e seduz
na sua condição feminalista
que trata a vida como sua autora

eis a Mulher !

alma de amor secreta misteriosa
seu perfume femenil
educada para servir antigamente
como é bela vaporosa
na alegria tão de tanto juvenil
com que liberta mente !...

autor: jrg

sinto-me: femeeiro
música: Cantigas do Maio
publicado por romanesco às 20:37
link do post | comentar | favorito
Domingo, 27 de Fevereiro De 2011

AMOR SEGREDO LUNAR !!!...

 

 

 

foto net: lua_no_mar.gif...prwagnerdesalles.wordpress.com

 

namorei uma menina
nativa do signo de Escorpião
linda airosa e felina
de fogo ardente explosão

 

namorei uma mulher
com alma duma criança
pétala a pétala malmequer
terra profunda esperança

 

namorei uma miúda
de todos os ventos cantante
que de amor a mim se gruda
inda hoje é minha amante

 

namorei uma senhora
nas águas de tanta maresia
dos meus poemas é cantora
me dá vida à poesia

 

conjuguei nos elementos
o signo paixão do Zodíaco
e no meu fiz cruzamentos
dum odor paradisíaco

 

de tal sorte apaixonado
descobri nela o segredo
há tantos milénios guardado
na atrofia do medo

 

prometi que tal calaria
não vou aqui desvendar
levanto do véu alforria
amar magia ao luar

jrg

sinto-me: namoradeiro
música: 5ª Sinfonia Bethoven
publicado por romanesco às 20:12
link do post | comentar | favorito
Sábado, 25 de Dezembro De 2010

AMO O TEMPO QUE FAZ

 

 

quando o vento sopra de sudoeste
dizia o meu avô de olhos semicerrados
é tempestade o mar se torna agreste
faíscam raios soam trovões amedrontados

*

na rua pessoas correm desnorteadas
dizem palavras obscenas do tempo que faz
seja vento chuva ou sol abençoadas
são as que vivem do tempo serenidade paz

*

uns amam o sol tórrido estorricante
na praia os corpos desnudos a água parada
outros adoram a invernia exaltante
mar cavernoso inundações a terra amassada

*

há os que se deliciam triste Outono
árvores despidas da folhagem envelhecida
e os que vibram na Primavera ozono
clima cheio de doce amor paixão apetecida

*

se tempo fosse afim da humana consciência
se repartisse em lotes climatizados
ainda assim haveria a atroz impaciência
por desejos que amiúde são trocados

*

habituei-me a saudar embrulhado n'alegria
qualquer que seja o clima anunciado
sou eu que opero em mim constante a magia
de amar no tempo o acaso esperançado

*

digo bons dias ao sol esplendoroso
boa tarde vento frio e à chuva fascinante
boa noite ao cosmos negro vaporoso
no desejo de ser de todos os tempos amante

 

jrg

música: hino à alegria
publicado por romanesco às 14:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 01 de Dezembro De 2010

LUA RUBRA SEM PUDOR

 

imagem fotográfica da autoria de: ESMI BAÚTO

 

LUA RUBRA SEM PUDOR


vermelho lunar
a paixão
os teus olhos amar
a emoção

***

e deste mote enfrento o clarão
a chama o fogo a negritude
a lua vermelha de amor paixão
momento sublime quietude

**

vejo a sensivel alma da artista
o súbito olhar que a cobiça
estremece o corpo apura a vista
na lua em fogo onde se fixa

**

sinto nela uma emoção explosiva
apaixonada no silêncio grita
lá dentro da alma onde se aviva
a chama do amor que a agita

**

embrulhadas na noite doce manto
estrelas sorriem cintilantes
à alma bela que quebrou encanto
abrindo segredos aos amantes

**

doravante lua e sol apaixonados
sinónimo de homem de mulher
serão na noite escura sublimados
sempre que alma pura quiser

**

autor do poema:jrg

sinto-me: sensibilidade
música: 5ª Sinfonia Bethoven
publicado por romanesco às 22:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 16 de Novembro De 2010

A EXPULSÃO DO MEDO

 

 

 

hoje entramos na casa da solidão
homens e mulheres de olhos ausentes
meninos meninas que brincam quietos
são aspectos da vida em contra-mão
existências sem alma sobreviventes
aspiram amor que os tornem despertos

mulheres vencidas pela violência
desatados os nós efémeros da relação
deambulam em círculos de indiferença
à espera sem norte duma evidência
duma magia no limite da sua razão
levamos amor esperança e luz intensa

homens soberbos tolhidos de medos
desemprego a doença sonhos desfeitos
omitem insuficiências culpam a sorte
cansados da orgia guardam segredos
longe do mundo sofrendo os efeitos
levamos amor a luz a estrela do norte

meninos meninas de olhar diferente
nascidos de amores tão mal acarinhados
já não inventam jogos senis brinquedos
por todo o mundo são o mar de gente
que alimenta hipócritas despudorados
levamos amor sorrisos espantamos medos

um instante longo milhões de amores
um alarido sem fim suave e doce aurora
cessou denso mistério toda a melancolia
homens mulheres e crianças de flores
vencido o estigma indo o medo embora
de amor vestidos por pétalas de poesia

autor: jrg
sinto-me: com força
música: Bolero de Ravel
publicado por romanesco às 01:54
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 06 de Outubro De 2010

HÁ UM PERFIL DA EXISTÊNCIA e OUTRO DA ESSÊNCIA...

 

trabalho de Alexandra Mesquita


 

existe em todas as coisas
nos actos nas palavras e nas pessoas
como numa moeda as duas faces
nos objectos estáticos onde os olhos poisas
nas frases floreadas onde te ressoas
mas é no rosto que se evidenciam as nuances

se a obra de arte em espelho simplifica
mais que um olhar atento à realidade
a amplitude do gesto a expressão
o lado direito e o esquerdo que mistifica
a unidade do ser ao centro de ser verdade
por mais que se pinte a alma o coração

visto de frente o rosto meigo bondoso
como uma flor de que não vimos o inverso
do lado esquerdo o perfil concordante
mas se o direito ao sorrir for tenebroso
a extremidade dos lábios o vinco adverso
é porque a alma ferida está agonizante

que linda beldade ali vai diz alguém
os olhos recortados nas pálpebras sombrias
os lábios carregados de vermelho
mas quando fala ou sorri muda também
se eram falsas na alma as alegrias
se as atitudes careciam de estudo ou aparelho

o que me fascina na obra da artista
mais que a teia onde encaixa e mede a amplitude
é o sentir na alma dela esta evidência
nas pessoas não há forma de ocultar que resista
à expansão do carácter na atitude
seja qual for a medição da aparência


autor:jrg

 

sinto-me: a existir
música: Chuva - Marisa
publicado por romanesco às 23:42
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 30 de Setembro De 2010

DEMÊNCIAS...

 

foto:pnb.blogcindario.com

 

 

***

quando o homem se revê

do lado da anormalidade

sem respostas ao porquê

da normal insanidade

 

é louco passou-se maluco

tem total impunidade

sorrateiro só toma o suco

passeia-se pela cidade

 

ninguém sabe o que pensa

se na dimensão da mudança

o louco tirou avença

para ser sempre criança

 

ser na loucura mutante

todo o mal que subsiste

não é do louco aviltante

mas do normal que existe

 

o poeta quase doido e pensativo

olha com estranha doçura

o gesto o tique depressivo

da insane criatura

 

pensa nos loucos do mundo

condenados ao degredo

vivos em coma profundo

apenas porque temos medo

 

desta selecção anormal

ser louco não é certeza

é até bem natural

seja louca a natureza

 

autor:jrg

sinto-me: louco
música: U2
publicado por romanesco às 22:39
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

últ. comentários

  • Obrigada, meu amigo... acredite que estou a fazer ...
  • Um abraço também amiga, hoje é seu dia de ser meni...
  • Olá Rosa Fogo, minha amiga...que admiro desde que ...
  • Olá Nelson Moniz...lindo comentário, amigo, que am...
  • meu amigoli alguns poemas e passei uns bons moment...
  • Um abraço grande e fraterno para si!
  • Lindíssimo poema. Parabéns!A infância é eterna em ...
  • Boa tarde minha querida amiga poetaporkedeusquer.....
  • Boa tarde querida amiga Fernanda Cardoso...leio en...
  • Fabuloso poema, amigo João R. Gonçalves! Fabuloso!...

mais comentados

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro