GALERIA DE MULHERES COM POEMAS DENTRO ! * Isabel Branco *



isabel branco

***

GALERIA DE MULHERES

COM POEMAS DENTRO !

*


* Isabel Branco *


*

as palavras rasgam na saudade

o dom de dizer a poesia

saem ladinas correndo de dentro dela

dão forma ao poema claridade

transcendem o mito o mistério a fantasia

cintilam d'Àfrica como uma estrela

que iluminasse todas as almas da cidade

*

"nasci na terra ao longe de Lobito

de uma família inteira

e por lá fiquei eterna adolescente

é esse o tempo que sou em cada dito

nasci mulher poema tecedeira

das emoções que me vestem docemente

quando no silêncio sou um grito"

*

afina os tons da voz  e diz

da alma do poeta cada verso

como quem afaga a pele curtida do tambor

estremece pausa flor de lis 

alonga a vista sobre o desejo imerso

mãe das palavras com amor

que acorrem aos ouvidos do país

*

"Sou o sol que me arde nos cabelos...

o grito da fera ferida na anhara angolana...

o mar que se espraia e por mim chama...

a flaminga restinga...e seus apelos...

Ah! Sou aquela...que chora, ri e também ama..."

IB

*

os seus olhos espelham tanta pureza

que no seu sorriso nos quer dizer

catar por onde houver a alma profunda

de quem escreve e sente a natureza

ei-la de antes quebrar que deixar torcer

adejando sobre a ideia que a inunda

feita da alegria extasiante que lhe dá beleza

*

"sou aquela que diz o seu sentir

que se realiza na aventura da descoberta

onde houver um poeta ou poetisa

ou um poema sem nome para existir

quero dizê-lo com a alma aberta

mostrar ao mundo esta gente que em verso avisa

só o amor trará a paz para sorrir"

*

olho na mulher o poema dentro

que irradia a beleza dos mistérios africanos

sentada diz poesia que a sua alma sente

ela que escreve poemas com amor ao centro

que partilha seus valores humanos

ela que nos pede em troca e tão somente

que usemos a poesia como um ceptro

*

"porque sou a que diz a poesia

de todo o que para mim sinto como talento

não quero vivas nem honrarias

deixem-me viver plena a minha fantasia

sou mulher e se sou poema tento

cantar do Lobito o mar o porto as correrias

e de Catumbela a terra de maresia"

*

é um encanto a voz saindo do poema

com rosto iluminado de mulher

ecos da memória humana

voz que se abre livre de qualquer algema

que rasga trevas ao amanhecer

eu canto para si Isabel (de) branco sobre a savana

meu hino à liberdade como tema


autor: jrg
sinto-me:
música: Batuques Africanos
publicado por romanesco às 21:45
link do post | comentar | favorito (1)