O POETA PODE SER...





imagem pública tirada da net


*

O POETA PODE SER

*

o poeta pode ser

um fingidor

como diz Pessoa

amar escarnecer

odiar até o próprio amor

ou rugir sobre Lisboa

*

o poeta pode até

ser vingador

da tristeza  de não ser

ou vingativo da ralé

a trepar p'la própria dor

esperança de viver

*

o poeta pode sonhar

tão vã a glória

sentado no meio dos deuses

beber dos óleos e achar

que os mitos cantam vitória

tecendo teias soezes

*

o poeta pode parar

suster a pena

dizer não à violência

abjecto desesperar

construir ode obscena

defecar na consciência

*

o que o poeta não pode

é emigrar a razão

sustento de humanidade

quando a alma nele explode

jorrando do coração

o sangue da liberdade

*

o que o poeta não pode

é fingir que é verdade

o seu sentimento de amor

quem sente a alma sacode

mentira ou leviandade

por queixa de tão falsa dor

*

o que o poeta não pode

é omitir a loucura

de pensar além da morte

sendo o louco que acode

até na mentira mais pura

à verdade que o suporte

*

jrg
sinto-me: aprendiz de poeta
música: SEGREIS de Lisboa
publicado por romanesco às 23:46
link do post | comentar | favorito